10.7.07

poema em conserva

quando receber o pacote pelo correio
perceba o volume e o calor do conteúdo
artesanal e preparado pra que lhe comova
e leve a comprovar que pesa como pesa um gato
morto que você carrega anestesiado quando
o nota imóvel e absurdo junto ao poste
e já sabe que terá de cavar um buraco
grande como era o gato

a começar pelo laço desengonçado
abra o presente com o espanto e a alegria
de criança com medo de ganhar meias

não faça caso
por favor
não se incomode

ao ver no pote o esbranquiçado
do mofo por entre as curvas do vidro ou o líquido
da ferrugem na tampa metálica ou o cheiro
ocre que se espalhará até que tenha lágrimas
nos olhos que continuarão abertos na tentativa
de aceitar sinceramente as frutas da estação passada
que alguém sabia serem suas preferidas