29.9.10

bolsa pesada de carteiro

um carteiro pra chamar
de seu
entre outros nomes
exceto o dele
se a carta não chegar
nem depois de meses
de torcida dos parentes
um carteiro pra colocar a culpa
sem remorso em caso de acidente
o carteiro não levará mágoa nenhuma
só cartas
em sua bicicleta
porque mágoa seria peso extra
e peso extra todo carteiro evita
todo bom carteiro nunca abre ou espia
nem por um minuto a correspondência
dessa rua
ou da sua

13.9.10

calor no inverno

até calafrios de febre
podem substituir ventiladores
quando faz calor em pleno inverno
e alguém esquece de puxar os fios
do frio

a cidade e todos que conhecemos
não andam se entendendo
nós, ao contrário da cidade,
quase sempre lavamos sozinhos
e com capricho
os cabelos

6.9.10

madeira e alvenaria

pelas frestas
ferrugens e finais

olhar bem um canto do assoalho
gritar na varanda

uma vida inteira
pra tentar descobrir
onde começam

a reforma e a pintura
das casas velhas que são
quem a gente quer bem

5.9.10

quem empresta

os livros preferidos nas edições exatas
as mesmas orelhas nas mesmas páginas
um autor citado nas conversas
em que se tenta mostrar conteúdo
agora nas mãos ásperas e sem escrúpulos de quem empresta
logo os filmes que você mais gosta
com o ator que lembra um irmão ou amigo
um personagem que se parece com você dez anos antes
e agora dez anos depois não queria entregar de mão beijada
pro interior das bolsas manchadas de quem nunca devolve
os melhores e mais doloridos discos da sua vida
de preferência com uma história parecida
pra contar em mesas de diferentes cidades
onde os presentes serão estranhamente próximos
aos da outra cidade e ao dono da primeira estante
de repente quem devolve logo tenta te encontrar
de novo ou, pelo contrário, quem não sente nada
é que devolve antes

1.9.10

o amaciante mais barato do mercado

a máquina de lavar
modelo tanquinho
destrói semanalmente
os tecidos íntimos