6.5.08

confecção própria


jogando as palavras às traças por um momento, você se concentra em outras alegrias diárias. por exemplo, a intimidade de conhecer as peças de roupa de alguém. todas, não só a blusa verde que a pessoa da mesa ao lado sempre repete. todos os casacos com capuz, blusas peludas por dentro, outras que penicam, camisetas estampadas, calças, bermudas, bolsos escondidos. pijamas das lojas de departamento, moletons velhos, shorts de ficar em casa e o que há por baixo de tudo, que são outras coisas.

convivi com uma pinta nas costas (que não eram as minhas) que tinha muito jeito daquelas que viram câncer. sempre avisava do perigo, um aviso automático ignorado, mas achava aquilo tudo muito simpático. olhar de perto as costas, a pinta, o possível futuro câncer de pele.

quero dizer que você acaba se tornando um especialista nos trajes e nos detalhes do outro, até provavelmente confundir as peças todas, não cuidar direito e acabar emprestando e perdendo, como faria com as suas coisas.