29.9.10

bolsa pesada de carteiro

um carteiro pra chamar
de seu
entre outros nomes
exceto o dele
se a carta não chegar
nem depois de meses
de torcida dos parentes
um carteiro pra colocar a culpa
sem remorso em caso de acidente
o carteiro não levará mágoa nenhuma
só cartas
em sua bicicleta
porque mágoa seria peso extra
e peso extra todo carteiro evita
todo bom carteiro nunca abre ou espia
nem por um minuto a correspondência
dessa rua
ou da sua

8 comentários:

Erico disse...

Com toda a certeza uma das poesias mais bonitinhas que eu já vi.

aguinaldocavalheiro disse...

exceto se ele estiver num filme dinamarques

Alcir Pécora disse...

"Ready-made" é DOM-DIVINO, Ana; entenda isso, por favor.

Insipidamente trivial, o seu poema.

Cronicas de Gaia disse...

Ana.

Eu (Marcos) e o Michel queremos organizar um periódico de contistas/poetas jovens maringaenses.
Se possível, queríamos algum trabalho seu, para colocar na primeira revista.
Você aceita e, se aceita, qual trabalho quer ver publicado?

Se possível, converse com o André Kangussu e pergunte se ele também quer mandar algo para nós

Obrigado, Ana!
=)

Anônimo disse...

alcir: stfu

Cronicas de Gaia disse...

marcosperes_ast@hotmail.com. Email e msn. =)

juan salazar disse...

boa!

Kant disse...

Lemos a última de edição da germina, e vimos seus poemas lá. Aliás, ainda stamos ansiosos por poemas vindo de pensão decrépita...