16.7.09

poema do vento

não é preciso ter intuição de dale cooper pra enxergar as conexões simbólicas da rotina e algo de angelo badalamenti & corujas traiçoeiras no disco novo do mount eerie, cujo lançamento oficial acontece em agosto. basta conhecer o ventilador de uma das casas de twin peaks e colecionar as pistas em cada uma das músicas de phil elverum em wind's poem. a mais óbvia está na oitava faixa, between two mysteries, mas todas as outras têm nomes dignos daqueles poemas místico-eróticos que a laura palmer escrevia em seu diário: through the trees, wind speaks, my heart is not at peace e por aí vai. laura não morreu, mas escreve as letras do mount eerie.
dizem que o vento, grande símbolo das paisagens etéreas, foi a inspiração inicial dos criadores de twin peaks quando a série nem tinha enredo ou personagens escritos: eles teriam vendido a ideia do piloto só descrevendo o assobio de um vendaval. parece que a afinidade entre a mesma força da natureza e o tal elverum decolou depois de uma nova temporada numa cabana na floresta, embora já aparecesse em seus trabalhos anteriores. já sabemos quais DVDs ele levou pra relembrar os velhos tempos, que são os mesmos de eerie indiana, aquela série do menino envolvido com enigmas numa outra cidadezinha americana.
diane, aqui vai uma teoria: mount eerie visivelmente se conecta a eerie indiana, que, por sua vez, já citou até a senhora do tronco de twin peaks, agora cenário desse disco do mesmo mount eerie.



Um comentário:

aline disse...

Oi Ana, que post bonito. Parabens.
Ontem mesmo lembrei do diario da Laura, acho que foi algo bem especial para as adolescentes da nossa epoca.

Um abraco.
Saudade.